sábado, 16 de abril de 2016

As aventuras de Tarsila (Capítulo 7: Quando tudo está bem, algo ruim sempre acontece)

Olá galera!
Tudo bem com vocês?
No sexto capítulo das aventuras de Tarsila nós acompanhamos como foi o seu aniversário, cheio de confusões e também de momentos especiais.
Agora Tarsila precisa fazer um trabalho na casa da Celesty, que é irmã do Rafa, que é o chefe e crush da Tarsi. Será que vai rolar barraco? 
Confiram tudo clicando em Mais informações, por favor. :)



 






Nossa, quem diria que o meu aniversário de 18 anos seria cheio de aventuras?
O melhor de tudo é que eu fiquei mais próxima ainda do Rafa.
Hoje eu vou fazer um trabalho da Academia de Moda na casa da Celesty, espero que ela não apronte nada comigo, eu não queria pagar mico na frente do Rafael.

14:30. Sábado. Casa da Celesty.
Cheguei na hora marcada, para evitar discussões. A casa da Celesty ficava num condomínio de granfinos. Ela teve de autorizar minha entrada e eu segui observando as outras residências, todas lindas e enormes, grama verde, carros luxuosos.
Celesty estava me esperando em frente à sua casa:
- Pensei que você tinha se perdido. (Disse ela)
- É que eu fiquei olhando por aí.
- Entra logo, o sol está queimando a minha pele. (Ela correu para dentro)
O interior era mais lindo do que eu imaginava, havia muitos cômodos, alguns empregados para lá e para cá, tapetes muito bem trabalhados com detalhes maravilhosos, sofás confortáveis, itens decorativos chiques, lustres e muito mais. Eu fiquei encantada com tudo o que vi.
Celesty pediu que uma das empregadas nos servisse suco de laranja e seguimos para o seu quarto. Ela estava diferente, muito calma e simpática comigo. Será que ela só é nojenta na Academia de Moda ou é bipolar? Melhor eu ficar de olhos bem abertos.
O quarto da Celesty era tão chique quanto o restante da casa, tinha uma porta de vidro que dava para uma varanda, as paredes eram de cor branca, a cama enorme e ainda haviam mais duas portas: uma para o closet e outra para o banheiro. Eu me senti num palácio.
Celesty sentou-se na cama e pediu que eu fizesse o mesmo.
- Tarsila, antes de começarmos o trabalho, eu quero conversar com você sobre outro assunto.
- Tudo bem.
- Sabe, meu irmão e eu somos muito amigos, tipo confidentes. Ele fala sobre você o tempo todo desde que descobriu que nós duas estudamos juntas.
- Humm... (Sinto que estou em maus lençóis)
- Eu acho que ele gosta muito de você e eu não queria continuar com essa rivalidade boba. Eu faço tudo para vê-lo feliz, mesmo que isso signifique ser sua amiga.
- Ah...eu nem sei o que dizer...
- Tarsila, eu só preciso saber se você é uma garota legal ou só está interessada na grana do Rafa. Seja sincera, por favor.
- Eu não sou uma interesseira. Claro que eu quero dinheiro para ajudar a minha família e para crescer na vida, mas eu quero trabalhar e ter tudo por esforço próprio. Não se preocupe, Celesty. Eu sei que essa vida de luxo encanta qualquer menina, ainda mais uma como eu, do interior, mas eu não quero a grana do Rafa. E eu nem sei se vai rolar alguma coisa, pode ficar tranquila quanto a isso.
Celesty me abraçou.
- Obrigada Tarsila, isso é muito importante para mim.
- Por falar nisso, onde está o Rafa?
- Ah, ele saiu com meu pai para fazer alguma coisa.
Depois disso, tomamos o suco de laranja que levaram para nós e fizemos o trabalho. Já eram mais de 4 da tarde quando Celesty teve a ideia de aproveitarmos o fim do dia na piscina. Como eu não havia levado biquíni, ela me emprestou um e disse que eu poderia ficar com ele.
Nós estávamos nos divertindo quando o Rafael chegou.
- Que surpresa você aqui, Tarsi!
- Pois é, descobri onde você se esconde. (Risos)
- Vem para a piscina também, Rafa. (Celesty falou)
- Só um minuto.
Rafael foi trocar a roupa e voltou vestindo um calção. Nós três ficamos lá por uns 40 minutos. 



Depois disso, Rafael e Celesty me levaram para o meu apê.
Foi um dia maravilhoso! :D
Contei tudo o que aconteceu para a Kat:
- Quer dizer que você agora é amiguinha da cobra da Celesty? (Ela perguntou)
- Não é bem assim, nós só não vamos mais brigar.
- E você confia nela?
- Vou dar um pontinho para ela por enquanto.
- Eu acho isso tudo muito estranho...


10:36. Domingo. Apartamento.
Acordei quase 11 da manhã e depois de escovar os dentes e tomar café, dei uma olhada no celular.
"Tarsi, qnd vc vê essa msg, fala cmg".
Rafael me deixou uma mensagem!!! O que será que ele quer?
"Oi Rafa! Tudo bem?" (Fui logo falar com ele, claro)
Alguns segundos depois: "Oi Tarsi, tô bem e vc? Tá livre mais tarde?"
"Tô, pq?"
"Pra gnt passear, qro te levar pra conhecer a cidade".
"Tá bom"
"4 hrs. Pdc?"
"Pode"
Nossa, nós vamos sair juntos. Nós vamos sair juntos.
- KAAAAAAT!!!
- O que foi? Quem morreu?
Kat veio correndo no meu quarto.
- O Rafa me chamou pra sair, amiga!
- AAAAHHH!!!
Começamos a gritar e a pular na cama.
 Às 16:00 hrs, Rafa veio me pegar, conforme havíamos combinado.


 Nós passamos por diversos pontos da cidade, e Rafa ia me dizendo o que era cada lugar. Tinha a lanchonete "Retrô Food", muito bonita, toda decorada com o tema anos 60; a casa de show "Vip"; três shoppings que eu não conhecia ainda. Seguimos para um parque da cidade, era lindo, o gramado verdinho, as pessoas deitadas ou sentadas conversando, ou ouvindo música ou praticando algum exercício. Nós nos sentamos:
- Rafa, eu queria pedir desculpa pela briga que você teve com o Pedro, aquilo me deixou muito mal e eu...
- Ei, esquece isso. Não quero falar dele.
- Ok. Desculpa então...
- Tarsila, para de pedir desculpa por tudo.
- Tá bom, desculpa, eu não vou mais pedir desculpa.
Começamos a rir. Nos deitamos e ficamos brincando de descobrir desenhos nas nuvens. O céu estava particularmente lindo.
- Aquela parece um elefante. (Rafael apontou uma nuvem)
- Elefante? Para mim parece um sorvete!
- Acho que é seu inconsciente falando pela sua fome, porque aquela nuvem é um elefante, com certeza! Hahaha
- Você não vai mudar de ideia mesmo. E aquela, parece o que?
- Acho que duas pessoas se beijando. (Rafael olhou para mim, eu fiquei super sem graça) Poderia ser você e eu, não acha? (Ele perguntou)
- Você tem uma imaginação muito fértil...
- Tenho mesmo. Já imaginei isso muitas vezes... (Ele se aproximou de mim...)
Finalmente, um beijo. O melhor da minha vida. Ai...eu queria que o tempo congelasse nós dois ali, naquele momento perfeito.
- Isso pode parecer loucura para você, mas eu preciso perguntar, quer ser minha namorada, Tarsila?
Fiquei em silêncio por uns instantes. Depois respondi:
- É tudo o que eu mais quero.
Mais beijos. Eu não imaginei que pudesse me sentir tão feliz, parecia que o mundo tinha ficado lindo de repente.
Rafael e eu ainda lanchamos na Retrô Food e depois ele me levou ao meu apê.
Nos despedimos e ele foi embora. 
- KAAAAAAT!!! Estou namorandooo o Rafael, amiga!!! (Entrei no apartamento aos berros)
- Nossa, quanta empolgação. (Disse Henrique, que estava no sofá com a Kat, suponho que aos beijos, antes da minha entrada triunfal)
- Desculpa, queridos. Eu não queria atrapalhar vocês.
- Imagina, amiga. Conta essa história direito.
Contei tudo o que aconteceu ao Henri e a Kat, os dois me desejaram felicidades e eu decidi que era hora de parar de segurar vela e fui dormir.


13:28. Segunda-feira. Estágio.
Na aula de hoje, Celesty sentou-se perto de mim e foi muito simpática. Kat, como sempre, ficou desconfiada das atitudes de Celesty e preferiu não se aproximar dela. Na hora da saída, Kat e eu vimos uma coisa estranha, um garoto muito parecido com o Pedro estava perto de uma das árvores do gramado do pátio, era um pouco distante de onde nós estávamos, parecia que ele estava esperando alguém. Eu imaginei que não fosse o Pedro porque o tal garoto não veio falar comigo.
No estágio, assim que eu cheguei, a recepcionista me chamou:
- Tarsila, preciso falar com você. (Fui até ela) A agência está dispensando os seus serviços e vamos pagar o equivalente a dois anos de estágio, conforme previsto no contrato. (Ela disse)
- O quê? Isso é tipo "você está despedida"? (Perguntei, confusa)
- Isso mesmo.
- Por quê?
- Ah... como eu posso dizer...Rafael não quer mais você aqui. É isso.
Eu me senti tonta, parecia que um buraco estava se abrindo sob os meus pés. Eu segui em direção à sala do Rafael.
- Onde você vai? (Fui interrompida pela recepcionista, que correu atrás de mim)
- Vou falar com o Rafael.
- Ele não chegou ainda.
- Ah não? Engraçado, eu poderia jurar que acabei de ver o carro dele estacionado lá fora.
Me esquivei da moça e corri, abri a porta e o Rafael estava lá.
- Tarsila! (Ele disse, surpreso)
- Desculpe, senhor. Eu não consegui impedir que ela entrasse. (Disse a recepcionista)
- Tudo bem.
A moça saiu da sala e Rafael disse:
- O que você quer?
- Uma explicação. Isso é alguma brincadeira?
- Brincadeira é o que você fez comigo. Eu confiei em você.
- Do que você está falando. O que aconteceu?
- Já chega, Tarsila. Você é igual às outras, você é falsa. Eu fui totalmente sincero com você, eu achei que você me amasse.
- Por que você está falando isso? Eu não fiz nada.
- Eu não quero mais ver você...nunca mais.
Uma dor jamais antes sentida invadiu meu coração, que batia muito forte. Eu mal conseguia pensar direito. Minhas pernas tremiam, senti vontade de chorar, mas segurei. Não estava entendendo o motivo do Rafael estar magoado assim comigo. Mesmo assim, falei:
- Quer saber? Eu não sei o que aconteceu com você, mas isso não importa. Você não pode me tratar desse jeito. Você se acha melhor do que eu? É isso? No fim das contas, você é igual ao Pedro, se divertiu comigo e agora quer me descartar, como se eu fosse um brinquedo que já não tem mais graça. Não se preocupe, agora sou eu que não quero mais te ver. (Rafa apenas me olhava, parado como uma estátua)
Eu saí da sala rapidamente, tropeçando em alguns móveis. A recepcionista estava a minha espera.
- Não esqueça o seu cheque. (Ela me entregou um cheque com um valor muito alto)
- Eu não quero nada desse lugar. (Eu rasguei o cheque em pedacinhos e joguei nela)
Ao chegar na calçada da agência, não consegui mais segurar as lágrimas e desabei. Enquanto eu caminhava, as pessoas me olhavam, como que perguntassem "o que aconteceu? Por que você chora?". Eu apenas continuei, sem rumo, até que parei numa praça e senti num banco.
Lembrei de uma frase de um livro que eu li uma vez: "quando tudo está bem, algo ruim sempre acontece". Eu me sentia tão triste, tão confusa. Fiquei ali por algumas horas. Sozinha com os meus pensamentos embaralhados.
"Será que era uma brincadeira? Será que o Rafael estava apenas me enganando? O que eu fiz de errado? A culpa é minha... Ele vai me ligar... Eu não vou atender... Ele vai me pedir perdão... Ele não me ama. Como eu sou burra!"
Chorei por um longo tempo. De repente o meu celular começa a tocar, eu peguei apressada e atendi:
- Rafael...
- Tarsi, sou eu. Onde você está amiga? Estou preocupada.
Era a Kat, eu não tinha percebido que já era noite.
- Já estou chegando.
Segui para o apê. Quando eu cheguei Kat percebeu que eu não estava bem e me preparou um chá. Depois de tomá-lo, contei o que havia acontecido e nem ela tinha uma explicação.
- Talvez isso tenha o dedo da Celesty. Lembra que nós vimos um rapaz parecidíssimo com o Pedro na Academia, aposto que os dois armaram pra você. (Disse Kat)
- Isso não importa, amiga. Se o Rafael me amasse, ele teria confiado em mim. 
Passei a noite em claro, pensando.


6:40. Terça-feira. Apartamento.
"Toc Toc Toc"
- Posso entrar, Tarsi?
- Pode, Kat.
- Ainda na cama? Você vai se atrasar.
- Eu não vou à aula hoje. Você pode dizer que estou doente, por favor?
- Ai amiga, você não pode ficar assim. Mas tudo bem, eu invento uma desculpa para a sua falta.
Kat me beijou no rosto e sorriu de forma angelical.
Depois que a Kat foi para a Stardoll Academy, eu tomei um banho e me vesti, peguei uma mala e coloquei minhas coisas nela. Escrevi um bilhete.

"Kat, minha querida amiga.
Eu não poderia ter encontrado uma pessoa melhor do que você para dividir este apartamento e os momentos felizes e difíceis da minha vida.
Sinto muito se estou deixando apenas este bilhete para me despedir, tive medo que você não me deixasse ir embora. Eu agradeço por tudo o que você fez por mim, de verdade. Como não tenho mais um emprego, não tenho condições de permanecer aqui, por isso voltarei para meu lar, o lugar onde eu pertenço, e que eu nunca deveria ter deixado. Espero que você encontre alguém legal para dividir o apê.
Com amor,
Tarsila"

Enquanto a caneta ia contornando cada letra, meus olhos derramavam lágrimas, mas eu não podia permanecer naquela cidade.
Peguei a Lola e segui para a rodoviária. Chegando lá, desliguei o celular e parti, tive que implorar para que deixassem a Lola ir comigo no ônibus.






17:22. Cidade natal da Tarsila.
Foram 8 horas de viagem. Enfim, minha pequena cidade, tudo estava exatamente igual, mas ao mesmo tempo, tive a sensação de que estava completamente diferente.
Segui até minha casa, eu estava tão nervosa, como ia falar para meus pais que eu não queria mais estudar na Stardoll Academy? Acho que isso será uma grande decepção para eles.
Bati na porta. Depois de alguns minutos, minha mãe abriu:
- Tarsila! O que você está fazendo aqui, minha filha? E com uma cachorrinha?
Eu não respondi, apenas a abracei.
 Meu pai chegou por volta das 18 horas, ele adorou brincar com a Lola. Nós jantamos e conversamos sobre algumas novidades da cidade. Eles sabiam que alguma coisa muito grave havia acontecido comigo, entretanto, não me pressionaram para que eu falasse.
Nós assistimos a um filme e eu finalmente decidi abrir a boca.
- Pai, mãe... eu sei que vocês se esforçaram muito para que pudesse estudar na melhor academia de moda do país, pois, apesar de ser bolsista, ainda tenho muitos gastos... Mas, eu não quero mais estudar lá, eu prefiro morar aqui com vocês.
- Mas o que aconteceu? (Perguntou minha mãe)
- Eu não imaginei que seria tão difícil conviver com pessoas diferentes de nós, eu não consigo mais.
- Se isso é o que você quer, tudo bem querida. Nós não vamos obrigar você a ficar num lugar que te fazem sofrer. Está bem assim? (Meu pai disse)
Fiz um gesto positivo com a cabeça e meu pai me abraçou. Minha mãe fez uma cara de desconfiada, mas não disse mais nada.


07:12. Quarta-feira. Cidade natal da Tarsila.
Desde que parti de volta para a minha terra, não olhei mais meu celular. Achei melhor deixar tudo aquilo para trás e seguir a minha vida. Acordei cedo e fui logo passear pela cidade a procura de um emprego, eu não podia ficar em casa sem fazer nada.
Tive a ideia de ir no mercado da Dona Lúcia, ela sempre foi gentil comigo. Quando eu estava na calçada, quase chegando lá, duas meninas que estudaram comigo no ensino médio saíram da cafeteria e me viram:
- Olha, quem é vivo sempre aparece. Quem diria que Tarsila da Silva Honório retornaria para cá. (Disse uma delas)
- Será que ela esqueceu as sandálias da humildade por aqui? (Disse a outra garota)
- Que eu saiba, eu sou livre para ir onde eu bem quero. Não tenho culpa se vocês não conseguiram sair dessa cidade, como eu fiz.
- Saiu mas voltou, e tão rápido. Te expulsaram da tal Academia de Moda?
- Minha vida não diz respeito à vocês. Com licença, tenho mais o que fazer.
Eu deixei as duas falando sozinhas, pude escutar as risadas delas.





Enfim cheguei no mercado da Dona Lúcia e perguntei por ela, infelizmente ela havia falecido há poucas semanas e agora seu filho mais velho, Cristóvão, é quem tomava conta do estabelecimento.
Então eu perguntei se não estava precisando de uma funcionária, ele me disse que não poderia pagar muito, mas eu aceitei o emprego.
Comecei a trabalhar já pela tarde, tinha muita sujeira no mercado, produtos vencidos, baratas e até alguns ratos. Quando o mercado fechou eu estava exausta.
- Tarsila! Por que você não limpou o banheiro? (O meu chefe falou)
- Ah é pra limpar lá também? Eu não sabia. Amanhã eu faço isso.
- Não, eu quero que você limpe agora.
- Mas já está tarde e eu estou cansada.
- Você quer esse emprego ou não?


Affs, ninguém merece. Tive que limpar aquele banheiro imundo e terminei quase às 21 horas. Enquanto isso, Seu Cristóvão ficou sentado assistindo TV, que folgado.
Quando eu cheguei e casa, meus pais me perguntaram onde eu estava e eu disse que havia conseguido um emprego, mas que depois de sair do trabalho eu tinha ido passear. Se eu contasse a verdade, eles não deixariam eu voltar no mercado.

7:30. Quinta-feira. Mercado do Cristóvão.
Fui trabalhar cedo, mas o Seu Cristóvão disse que eu estava atrasada. Eu tive que fazer meditação para não voar naquele homem. Eu atendi as pessoas e organizei as prateleiras, mas o Seu Cristóvão achou que não era suficiente, pediu que eu limpasse o chão novamente. Eu fiquei com tanta raiva, mas obedeci.
Quando eu voltei para casa, na hora do almoço, minha mãe percebeu que eu estava muito cansada e chateada.
- Eu sei que o Seu Cristóvão é um chato. Se eu souber que ele está explorando você, ele vai se ver comigo. (Disse minha mãe)
- Não mãe, está tudo bem. É que eu desacostumei de fazer certas coisas. (Eu fingi que estava tudo bem)

13:00. Mercado do Cristóvão.
De volta ao mercado, Seu Cristóvão disse que minha roupa estava inadequada para trabalhar:
 - Você tem que usar roupas mais chamativas, para atrair a clientela, e se maquiar melhor, está pálida.
- Aqui é um mercado ou uma agência de modelos? (Respondi, com ironia)
- Veja bem como você fala comigo, garota. Eu sou seu patrão.
- Desculpa.
Continuei meus serviços. Já no meio da tarde, eu estava com fome e comecei a ficar tonta, sem querer acabei derrubando algumas latas de refrigerante.
- O que você fez? Você não sabe fazer nada direito?
- Desculpa, foi sem querer, eu pago.
- Claro que você vai pagar, ou acha que pode sair por aí destruindo o meu mercado e não vai pagar nada?
- Eu já pedi desculpa, o que você quer que eu diga?
- E fique em silêncio, você faz tudo errado...
- Tarsila, o que está acontecendo? (Minha mãe apareceu de repente)
- Nada, mãe.
- Tive a impressão de que vocês estavam discutindo. (Minha mãe disse, cruzando os braços)
- Não, nunca. A senhora acha que eu ia brigar com uma garota tão esforçada quanto a Tarsila? (O falso do Seu Cristóvão ficou bonzinho de repente e tentou enganar a minha mãe)
- Menos mal. Tarsi, uma moça chamada Stela ligou para você e eu atendi. Ela disse que viu uma foto de uma campanha com um vestido que você criou e tem uma proposta de emprego para você no atelier dela, acho que é Stela Marinho.
- Mãe, você mexeu no meu celular?
- Sim, eu só queria saber o que havia acontecido na cidade que você morava, aí ele começou a tocar...
- Mããe!
- Filha, concentre-se na proposta de emprego. E então?

Nossa, a Stela Marinho é simplesmente uma das maiores grifes do país e eles tem um atelier na cidade em que eu morava. Acho que foi de lá que me ligaram. Mas eu não quero voltar, não sei se conseguiria encarar todo mundo de novo. Embora essa possa ser a chance da minha vida. Não sei o que fazer!

Socorro!!!

Tarsila da Silva Honório (TSH) 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Agora é com vocês.
Nesta semana ninguém sugeriu a continuação da história, pois eu havia dito que talvez não poderia postar com as ideias de vocês. A Vivianny comentou sobre o perfil fake da Tarsila, o qual ainda não sabemos quem criou. Esses mistérios da história vão ser solucionados nos próximos capítulos, quando as máscaras forem caindo, como bem disse o Adriano. Rsrs

 Bom galera, depois de pouco menos de um dia de namoro, Rafael expulsa Tarsila da agência de da sua vida. O que será que aconteceu que o deixou tão chateado com a Tarsi?
Claro que vocês já perceberam que isso tem a ver com a Celesty e o Pedro, que com certeza armaram alguma para separar nosso casal fofo. <3

Comentem como deve ser o capítulo 8, com os seguintes requisitos:
- Como será a volta da Tarsila para a cidade e para a Stardoll Academy;
- Tarsila encontra Rafael na produção de um comercial para a Stela Marinho.

Comentários válidos até 16/04.
  Espero que curtam o capítulo 7 e fiquem à vontade para comentar, criticar, opinar e sugerir.
Para visitar a Tarsila, clique aqui.

Beijos! 
 

12 comentários:

Stardoll PinkVivianny disse...

Nossa, dessa vez foi muita coisa pra nossa Tarsi em um só capítulo, hein? Coitada! Mas é assim mesmo, quem disse q a vida seria fácil?

Stardoll PinkVivianny disse...

Nay, eu tava aqui lembrando: e a Lola? Ela foi e não levou a cachorrinha, coitada!

Nay Nascimento disse...

Pois é Vivi, a Tarsi tá sofrendo, mas ela é forte, vai superar tudo isso. :)
E eu esqueci da Lola!!! Rsrs Vou tentar atualizar a história, a Tarsila não pode ir embora sem a Lola, não é?! Maldade Rsrs Obrigada por lembrar disso! :D

shakira 1003 disse...

gente q triste que a tarsi e o rafa se sapararam :( tudo por causa da celesty e do pedro!:/ tomara que eles fiquem juntos novamente!

Luiza Aguiar disse...

Gente, acho que a história tem que ir um pouco mais devagar. Ela conhece os boy e eles já pedem pra namorar, (Quem dera se a vida fosse assim) enfim, leva ela pra frequentar umas social, pegar uns boy, mas tudo ela já namora! haha

Lyssamy Lee disse...

Af quando comecei a ler, tava torcendo pra ela ficar com o Pedro, ao em vez do Rafa.. Até conhecer o Rafa melhor q.q Rafa podia existir sz
Luiza Aguiar vdd
QUEM DERA QUE FOSSE ASSIM :c Tarsi pelo menos se deu bem nisso asjaçl

Adriano Lopes disse...

A cada capítulo você se supera Nay ♥ Simplesmente amando a vida da Tarsi ... Netflix faz um série por favor xD

Stardoll PinkVivianny disse...

Concordo com o Adri: deveria ter série, gente. Malhação, por exemplo, tá ficando mais besta a cada temporada, necessitando de uma história criativa como essa!

Julia Ferreira Caetano disse...

nossa estou amando a historia! kk, novidade hein?! o capiulo ta top...

Lyssamy Lee disse...

Agr necessito do oitavo cap ;--;

Leticia.V disse...

Quero o 8° capitulo logo XD

Nay Nascimento disse...

Vamos torcer para que Tarsiel sobreviva, não é mesmo shakira 1003? <3
Adorei a ideia da Tarsila frequentar "umas social", Luiza! Hahaha
Gente, faz tempo que a Tarsila e o Rafael queriam ficar, não é verdade? Realmente, quem dera que o Rafa existisse, Lyssamy! Oh Deus, nos ouça! :D Rsrs
Agradeço seus elogios Adriano, seu lindo do meu coração! <3
Pode deixar que eu vou mandar um e-mail para a globo comprar a história da Tarsi, está bem Vivi? Mas eles teriam quem pagar a todos vocês que ajudam com sugestões a cada semana! u.u
Fico feliz que você tenha gostado co capítulo, Julia! :D
Oitavo capítulo já está no ar. Bjuus e obrigada pelos comentários, pessoal! :D
<3